Celino Cunha Vieira - Associação Portuguesa José Marti / Cubainformación.- Filho de pais espanhóis, nasce em Havana em 28 de Janeiro de 1853 aquele que viria a ser o Herói Nacional e Apóstolo Cubano José Julián Marti Pérez, que ainda bem jovem e influenciado pelas ideias separatistas do seu professor, o poeta Rafael Maria Mendive, publica aos 16 anos o seu primeiro manifesto patriótico em verso, o “Abdala”, estabelecendo como prioridade para a sua vida acabar com o absurdo de às portas do século XX ainda os países da América Latina serem governados por europeus, iniciando a sua luta pela independência de todas as colónias, incluindo a cubana. 


Preso várias vezes por motivos políticos, exila-se em Espanha, onde faz os seus estudos superiores, primeiro em Madrid e depois em Saragoça, licenciando-se em Direito, Letras e Filosofia. Muda-se para França, depois para o México, onde casa com Cármen Bazón e em seguida para a Guatemala, onde, dotado de uma vastíssima cultura geral, lecciona na Universidade Nacional, acabando por se radicar em Nova Iorque trabalhando como jornalista, a par da sua actividade de escritor. 

Foi no convívio com os norte-americanos que José Marti sentiu o perigo de Cuba vir a cair nas mãos dos EUA (dizia ele: “conheci o monstro por dentro”) e se isso ocorresse, todas as lutas desencadeadas pelos revolucionários independentistas redundariam num total fracasso. 

Sobre isto ele escreveu: “O povo do Norte, desde o berço sonha com esses domínios… e quando um povo é criado na esperança e na certeza da possessão do continente, chegando a ser, com as esporas dos céus da Europa e da sua ambição, um povo universal… urge sobre ele forjar uns quantos freios, com o pudor das ideias e o rápido e hábil aumento dos interesses opostos a eles…”. José Marti estava assim convencido e profetizou que, com a extinção do velho império colonial, os EUA emergiriam como inimigo natural de uma Cuba independente. 

Como escritor, José Marti foi um dos percursores do modernismo ibero-americano, publicando centenas de poemas, novelas e dramas, para além de cartas e artigos de jornal. A letra da música “Guantanamera”, conhecida internacionalmente como símbolo da Ilha, foi retirada do seu poema “Versos Sensillos” dedicado ao amor, à mulher e à pátria. 

Os ideais humanistas e patrióticos de José Marti constituíram a principal fonte de inspiração para a Revolução Cubana, podendo considerar-se o seu mentor intelectual, estando os seus pensamentos tão actuais como há mais de um século, preservando a sua originalidade e cubania que se transmite de geração em geração. 

Para perpetuar a sua obra foi construído em Havana um Memorial, situado na Praça da Revolução, onde estão expostos vários documentos sobre as principais passagens da sua vida e que deve constituir visita obrigatória para quem passa pela capital cubana. 

La Columna
Celino Cunha Vieira - Associação Portuguesa José Marti / Cubainformación.- Por ocasião do 90.º aniversário do Comandante-em-Chefe Fidel Castro, não tive oportunidade de escrever e de lhe endere&cc...
Celino Cunha Vieira - Associação Portuguesa José Marti / Cubainformación.- Cumpriu-se no passado dia 26 de Julho o 68.º aniversário sobre os assaltos ao Quartel Moncada em Santiago de Cuba e ao Quartel Carlos M...
Celino Cunha Vieira - Associação Portuguesa José Marti / Cubainformación.- Passa exactamente a 15 de Maio, o 66.º aniversário sobre a libertação do Presídio Modelo na Isla de Pinos - actual...
Lo último
Ser cubano: Fernando Luis Rojas
Vocesenlucha.- Semilla audiovisual de la entrevista a Fernando Luis Rojas, pensador cubano y director del Fondo Editorial Casa de las Américas. Conversamos en este avance de la entrevista realizada en La Habana en febrero de 2024 sobre el ser ...
Ver / Leer más
La Columna
La Revista